Nódulo de Pulmão

Um nódulo do pulmão pode ser visível em uma radiografia ou tomografia do tórax de rotina. Aparece como uma opacidade pulmonar (uma mancha branca – uma bola) com diâmetro menor ou igual a 3cm, circundada por tecido pulmonar normal.

Os nódulos pulmonares podem ser: lesões benignas; lesões malignas (câncer pulmonar); nódulos indeterminados ou nódulos metastáticos do pulmão.

O Dr. Malucelli possui longa experiência no tratamento do nódulo de pulmão no Brasil e já realizou centenas de cirurgias em adultos e crianças.

Sintomas

A maioria dos nódulos pulmonares não apresenta sintomas. Geralmente são encontrados em uma radiografia do tórax de rotina (check-up). Mas pode haver sintomas como: tosse, hemoptise (tosse com sangue), sibílus (chio) localizado, infecção pulmonar de repetição no mesmo local e falta de ar, dependendo do tamanho e da localização do nódulo.

Diagnósticos

As características (calcificação, formato, dimensão, quantidade, etc) e a localização do nódulo nos dará condições de sugerirmos (não se tem certeza) se há maiores ou menores chances de ser um nódulo maligno do pulmão ou um nódulo benigno do pulmão.

Para termos certeza, quase sempre haverá necessidade de realizarmos uma biópsia da lesão. As biópsias podem ser com agulha, broncoscopia, videocirurgia ou cirurgia convencional (dependerá de cada caso). O mais comum é não realizarmos somente a biópsia, mas sim realizarmos a retirada completa dos nódulos suspeitos.

Um ou mais nódulos pulmonares podem ser:

Nódulos benignos do pulmão: Podem ser decorrentes de diversos processos que ocorreram na vida de uma pessoa, como por exemplo: cicatriz pulmonar após uma pneumonia, granulomas infecciosos (tuberculose, histoplasmose, coccidioidomicose, ascaris, equinococose, etc), granulomas não infecciosos (Wegener, sarcoidose, artrite reumatoide, etc) ou tumores benignos como hamartomas, condromas e adenomas.

Nódulo maligno do pulmão (câncer): Um nódulo maligno é um câncer inicial de pulmão (adenocarcinoma, carcinoma epidermoide, carcinoma de pequenas células, etc). Todo câncer começa como uma lesão pequena e, com o passar dos dias, meses ou anos, vai aumentando de tamanho. É mais comum aparecer em fumantes, mas pode ocorrer em não fumantes.

Nódulos indeterminados do pulmão: São aqueles que, apesar de todos os esforços, não se sabe se são benignos os malignos. Há necessidade da realização de biópsias ou ressecções completas para se certificar.

Metástase(s) do pulmão: É um câncer de outro local do organismo (útero, próstata, cólon, mama, rim, cabeça e pescoço, sarcomas, tireoide, melanomas, etc) que se implantou (através da corrente sanguínea ou linfática) e está aumentando de tamanho no pulmão.

Tratamentos

O tratamento depende das características dos nódulos, mas a maioria deles (especialmente em fumantes) deve ser ressecada cirurgicamente (retirado), pois essa é sem dúvida a melhor chance de cura. Quando esses nódulos são malignos e crescem, eles se tornam muito difíceis de curar. Abaixo faremos considerações sobre os vários tipos de nódulos pulmonares.

Tratamento do nódulo pulmonar suspeito de ser benigno

Devemos ter certeza absoluta de que se trata de um nódulo benigno. Somente nessa ocasião pode-se fazer o controle com radiografia ou tomografia de tórax em períodos pré-determinados (a cada 4 a 6 meses). Assim poderemos acompanhar se haverá crescimento desse nódulo.

Se isso ocorrer, pode ser indício de uma lesão maligna e, portanto, deve ser ressecada (retirada) cirurgicamente. Quando a biópsia é inconclusiva, não quer dizer que não se trata de um câncer e, portanto, ela deve ser repetida, ou então o nódulo deve ser retirado completamente com cirurgia.

Tratamento do nódulo maligno do pulmão (câncer)

Inicialmente devemos proceder o estadiamento (avaliação de sua extensão) desse câncer do pulmão . O tratamento preferencial é a ressecção (retirada) por meio de videocirurgia ou cirurgia minimamente invasiva ou cirurgia convencional. Essa é a oportunidade perfeita para conseguirmos uma ressecção completa, pois o câncer ainda é inicial e, portanto, tem grande chance de cura. Não devemos deixar passar essa oportunidade.

Tratamento dos nódulos indeterminados do pulmão

Como não é possível definir se são malignos (câncer) ou benignos, eles devem sempre ser ressecados (retirados) por meio de videoicirurgia ou de cirurgia minimamente invasiva ou cirurgia convencional.

Tratamento da(s) metástase(s) do pulmão

Devemos seguir alguns critérios muito rígidos de indicação, mas para uma boa parte delas o melhor tratamento é a retirada através da cirurgia, uma vez que a maioria das metástases não responde ao tratamento por quimioterapia e/ou radioterapia. A ressecção cirúrgica permitirá chance de cura e certamente prolongará a vida diminuindo o desconforto respiratório.

Detalhes da cirurgia

O tratamento cirúrgico é classicamente realizado por Cirurgião do Tórax com experiência em oncologia. Devemos fazer uma avaliação prévia rigorosa através de exames de sangue, coração, função pulmonar, etc. A cirurgia é realizada em centro cirúrgico, com anestesia geral, por meio de cirurgia torácica minimamente invasiva (toracotomia com preservação muscular) ou videocirurgia ou cirurgia torácica convencional. Tudo dependerá do diagnóstico inicial.

Pós-operatório de ressecção de nódulos pulmonares e resultados

O pós-operatório da maioria dessas cirurgias é de 5 a 10 dias de internamento hospitalar e depende de que tipo de procedimento foi executado. Após esse período a pessoa pode retornar às suas atividades do dia a dia.

Os resultados dependem de que doença se está tratando – se benigna, maligna ou metastática. De maneira geral, as chances de cura são grandes.

Diagnóstico e Prevenção Precoce do Nódulo Pulmonar

O ideal é que as pessoas nunca fumem. Dessa forma, reduzirão os riscos de apresentarem um nódulo pulmonar maligno (câncer pulmonar). Os nódulos benignos são dificilmente evitáveis.

Os fumantes devem, a título de prevenção, realizar uma radiografia ou tomografia de tórax, seguida de consulta médica, ao menos a cada ano, enquanto estiverem fumando. Se pararem de fumar, devem continuar com essa prevenção por mais 10 anos.

As pessoas que apresentaram algum tipo de câncer em praticamente qualquer região do organismo devem fazer exames periódicos do pulmão por meio de uma radiografia ou tomografia de tórax, seguida de consulta médica, geralmente a cada 6 a 12 meses durante os próximos 5 a 10 anos.

Toda pessoa a partir dos 45 anos deve realizar uma radiografia de tórax por ano, sendo ou não fumante, apresentando ou não sintomas, para investigar a presença de nódulos.